PÁGINAS INDEPENDENTES

27 de fev de 2011

DIÁRIO (flores e plantas)

PRIMAVERA NA PRIMAVERA
FLOR DE MAIO  EM MAIO
MEU JARDIM LÁ DE TRÁS
 Resolvi fazer uma modificação no meu pequeno quintal (pra melhorar a convivência com os cães) e precisei escolher alguns itens de jardinagem e paisagismo que funciona como um hobie, pra mim.
Assim fiz um tour pelas floriculturas do bairro, tendo a Bete ao   volante do meu carro.
Floricultoras tem flores... e, por isso são perfumadas, bonitas, bem arejadas e agradáveis. Acabei gastando mais do que deveria, mas já me perdoei;-)

GOSTO DE ME CERCAR DE FLORES E PLANTAS EM GERAL!

DIÁRIO (Capela Sistina)




Recebi um e-mail, cujo conteúdo considerei

Fantástico!

Fiquei com dor no pescoço de tanto olhar pro teto;-)




 ISTO É MARAVILHOSO......
 VEJA DETALHES DE TODOS OS QUADROS......
  
                Aproveitem para ver todos os pormenores, lindo. 
   
Capilla Sixtina em 3D APÓS SER A IMAGEM ABERTA TOTALMENTE, FAZER CLIC COM O MOUSE  E ARRASTAR PARA CIMA, PARA BAIXO, PARA A ESQUERDA E PARA A DIREITA . O SINAL + E - PERMITE AMPLIAR OU REDUZIR A IMAGEM.
DIZ-SE QUE DEMOROU 3 ANOS PARA COMPLETAR ESTA APRESENTAÇÃO:
  

http://www.vatican.va/various/cappelle/sistina_vr/index.html

20 de fev de 2011

AINDA BEM QUE É CASTRADO!


  
Ontem, meus dois cachorrinhos menores foram tomar banho... NoPetShop, o pretinho viu uma cachorrinha com a qual ficou encantado! Pela primeira vez, meu Doguinho relutou e não queria entrar no carro... queria ficar por lá...

Felizmente, o Dog é castrado, assim como todos os habitantes caninos da minha casa, então não tinha nenhum perigo de nascer uma ninhada SRD.
O pior que poderia ter acontecido seria um namoro platônico;-)

Sei que o pequeno Dog é um rapazola fogoso e meio sociável demais;-), enquanto o Bidu é um senhor sizudo;-) que entrou logo no carro e se acomodou docilmente, pois ele é mais apegado a mim e não quer "ficar";


18 de fev de 2011

DIÁRIO (amizade, cortesia e solidariedade)

                                                                                                                                                                 

Uma amiga da adolescência veio me visitar e trouxe-me uma belíssima orquídea.


ADOREI MILHÕES... era assim que costumámos dizer, naqueeele tempo.;-)


Hoje pela manhã, minha cuidadora Bete (a única daqui com formação específica...) voltou. Ela estava em viagem, assistindo ao sogro e ao marido, internados às pressas em outra cidade...

Foram dois gestos distintos de solidariedade.

Solidariedade faz um bem danado:-)


17 de fev de 2011

DIÁRIO (arte plastica)

Um dos primos com os quais convivi muito na infância, divulgou por e-mail, uma ligação simplesmente fantástica... e é muito bom começar o dia visitando belos museus de arte.
http://www.googartproject.com/museums/rijks/a-watermill-55le
  
"Viajei" muito;-) e dos museus visitados, gostei mais do
Metropolitan (NY), cuja arquitetura é
lyhgt and clean... e cujo acervo é soft e eclético.




15 de fev de 2011

ACORDAR PRA VIVER

Hoje é terça-feira. Seria dia de visitar o cavalo Bill e ter uma sessão de equoterapia, mas não pude ir porque a Bete (minha cuidadora/motorista) faltou. Faltou porque o sogro dela, que estava em coma e internado na UTI de um hospital em Londrina, piorou e ela acompanhou o marido. Está lá. Acho correta a atitude dela e aceito numa boa o fato dela faltar.
Por outro lado, sinto-me meio revoltada  pela minha total dependência: tenho um carro parado na garagem e tive que avisar ao Instituto Andaluz que não vou...
Só me resta ficar aqui deitadinha, vendo TV.
Felizmente, tenho programação HD num aparelho de plasma, um leptop e uma cama que me põe sentada, o que minimiza a frustração.
Estou vendo o programa Mais Você, que é bastante eclético e certa vez, me  inspirou a "dedografar" a poesia abaixo:



"ACORDA... "

A Mãe Natureza se mostra bela, na tela.
No meu quarto, a primavera.
Aqui dentro, pra lá da tela
Cachorrinhas: Crystal; Sombrinha; e, Bella;
Bicho-preguiça pela janela.
Aqui dentro, pra cá da tela
Cachorrinhos (Bidu e Dog);
Luna-minha cadela bela;
Leo-cachorrão na janela.
"Levanta menina, e vem viver!"
A vida não é somente ver.
Ver é motivação pra viver
Quando é difícil se locomover.
Até Bicho-preguiça pode ser
motição pra viver...

Estou aqui fora
ao lado do grande Leo
vendo pássaros no céu
cuidando das plantas da janela.
A Mãe Natureza, sábia e bela
nos convida a acordar e viver com ela,
Mesmo pela "tela"...


12 de fev de 2011

COMEMORAÇÃO

                                            Hoje foi um dia especial. 
       Um dos meus filhos fez 40 anos de idade. Mais um "quarentão";-)  

  
Fomos comemorar, almoçando num shopping: minha cuidadora e eu; e, meu filho com a esposa e os filhos dele (dois dos meus lindos netos).



                                     Foi um dia bastante agradável!



11 de fev de 2011

ROTINA

É sexta-feira, dia em que a faxineira vem aqui e, portanto, dia de lavação. Lavar-se-ia o pátio apenas semanalmente, se eu não tivesse cachorros que, felizmente;-), fazem o 1 e o 2  diariamente... É importante pra mim ter cachorros, mas este assunto merece uma página específica e, por isso, fica pra outro dia.
Aproveitando a presença da diarista, eu e minha cuidadora (de fato e direito), customizamos a cúpula de um abajur velho, do qual gosto muito.
Depois, demos uma incrementada num vaso de plástico, onde está plantado um bonito antúrio, que precisava de um vaso maior para o acomodar melhor. Aprendi a técnica de manejo de antúrio, através de ensinamentos encontrados na Internet.
Meu dia a dia funciona assim: eu tenho a idéia e elas põem as mãos à obra (‘elas’ são: a faxineira e a cuidadora).
Hoje, ainda, seria dia de Terapia Ocupacional, mas o Terapeuta telefonou avisando que não pode vir.
Agradeço a Deus, diariamente, por poder fazer frente às despesas com todas as pessoas que me ajudam.

10 de fev de 2011

VIVÊNCIA COMPARTILHADA

Não sei o que ainda pode acontecer hoje, mas o dia já está ganho desde ontem;-)
Ontem recebi um e-mail de uma mãe, comentando uma mensagem de texto que escrevi e postei na Internet como se fosse uma "mensagem na garrafa", solta no oceano... ela me agradeceu, pois estava navegando e a "pescou" ... e a leu... e foi-lhe útil...

A MÃE DO FILHO
O "pequeno" cresceu. A mãe o ensinara a crescer... e crescer significa ser responsável tomando decisões e assumindo conseqüências.
Aprendeu. Cresceu tanto, que decidiu ir. Decidiu por si mesmo, sem perguntar se a mãe ia sofrer. Nem para a própria mãe e nem para ele mesmo.
- "Vou experimentar. Se não gostar, volto."
Nem aquele: "você não fica triste?", de quando era pequeno.
E a mãe racionaliza que é um direito dele querer ir e pensou:
- "Vai ser bom pra ele. - Que bom!"
O menino aprendera a se respeitar, a seguir os próprios impulsos medindo as conseqüências por si mesmo.
Racionalmente, tudo bem! Mas mãe, aquela que vem das entranhas, que gerou, que pariu, não consegue ver a pessoa do filho, mas a sua cria. É animal. Não animal sem alma, mas com um instinto tão forte que sufoca a razão.
A vitória se manifesta em choro. Saudade. De manhã, o barulhinho do chuveiro, o rock baixinho no quarto. À tarde, o telefone, sempre ocupado. De madrugada, a televisão ligada. Copos pelo chão. Tênis pelos cantos. O sono pesado e inconseqüente da adolescência e juventude.
No armário vazio, só os cabides atestam: ele não mora mais ali. Vai voltar?... a mãe só sabe que o quarto vazio, irritantemente arrumado, dói demais... e vai doer ainda, até que a mulher consiga refazer a mãe dentro de si e fique apenas feliz porque o menino cresceu.
Um mês depois, a mãe encara o menino crescido. Não dói mais. Está refeita, plenamente feliz e sente orgulho, pois: O "pequeno" cresceu e não se foi... apenas mudou de endereço.

9 de fev de 2011

EQUOTERAPIA

Hoje é terça-feira e meu compromisso mais importante neste dia da semana é ir ao Instituto Andaluz, para uma sessão de EQUOTERAPIA.

A EQUOTERAPIA, além de benefícios corporais, me traz benefícios psicológicos importantes, pois aquele tempo de interação com meu novo amigo Bill proporciona-me a grande liberdade de sonhar.




Ah! Esqueci de dizer que Bill é o cavalo.


Sinto-me livre e poderosa "cavalgando", mesmo assistida por dois profissionais humanos e sabendo que minha cadeira de rodas está à espera.