PÁGINAS INDEPENDENTES

28 de fev de 2012

REPAGINANDO AS PÁGINAS

Desta vez não é o visual exterior, mas sim o conteudo... os 'objetos'.
O objetivo principal deste blog sempre foi e será a minha interação.
Mas há objetivos decorrentes, que são o que chamo de 'objetos'.
Entendo que INTER AÇÃO... pressupõe troca. E o que eu posso oferecer nesse 'escambo global' sou eu... e eu sou o que fiz, faço e farei da vida que ganhei através dos meus familiares ascendentes.

Este blog é ASSIM, ASSIM... tem de tudo um pouco, como a VIDA.
Outrossim, aqui homenageio todos os meus ascendentes (in memoriam), na pessoa da minha avó materna, que sempre dizia “PRESTA ATENÇÃO NA VIDA”.
E agora, que já sou ‘sex’... vejo que a VóNê estava certa. Prestei  atenção e vi que a vida é cheia de detalhes... é tão abrangente como o mar e... vem em ondas.
Às vezes, a onda é violenta e nos derruba ASSIM.
Outras vezes é tépida e nos envolve num abraço carinhoso ASSIM.

26 de fev de 2012

A PIA 'DOENTINHA'

Fui avisada de que a pia da cozinha estava molhando o armário sob ela.
“- Acho que é só vedar bem!”
Aí eu mandei chamar o “marido de aluguel”... um “Pereirão” baiano, que me socorre em pequenos restauros domésticos o qual, depois de um exame menos leigo e mais minucioso, nos deu um ‘prognóstico’: a cuba estava solta da pedra onde deveria estar presa, toda a vedação plástica estava podre, o “cifão” e mais uma prateleira interna sob o armário foram trocados... resultando num procedimento de uma quatro ou cinco horas, um gasto enorme e a pia ‘repousando’ até a secagem completa do material usado como ‘sutura’ que é tóxico (vedação plástica).

A pia já teve ‘alta’ e está limpa e cheirosa...
Eu "poderia até comer dentro dela”;-)

21 de fev de 2012

MUDANÇAS E RECOMEÇOS

Já mudei várias vezes... de lugar e de estado pessoal e civil.
Talvez não seja da minha natureza... sou bastante “acomodada”... talvez, no meu caso, seja uma questão de sobrevivência.
Em contrapartida, adapto-me facilmente aos novos lugares e às novas situações com que me defronto... ou me confronto?
Fato é que, depois de mudanças e recomeços, eu me vi “condicionada” a viver numa casa térrea e plana, apropriada para pessoas com dificuldades de locomoção.
Nesta casa, senti necessidade de ter uma atividade que espantasse a ameaça psicológica da inatividade precoce.
Depois de várias tentativas, vi-me cuidando dos meus pets e esta se tornou minha atividade. Paralelamente, meu hobby passou a ser decoração e paisagismo (tudo com a ajuda humana necessária)... fiz um curso de decoração e outro de jardinagem e paisagismo (informais, mas prestei muita atenção...).
A casa, que já fora construída visando minhas necessidades especiais, sofreu algumas mudanças conforme fui me familiarizando com meu novo estado de PNE e minha atividade “cachorreira”.
Há uns seis anos, senti necessidade de ter alguém da família morando a ‘um grito’ de distância, caso eu precise de socorro urgente... o alicerce da construção permitiu e agora a ‘minha’ casa é a ‘nossa’ casa, pois meu filho (Ricardo) mora lá em cima, com a família dele... tudo junto e SEPARADO.

Os batentes das portas sofreram um tipo de envelhecimento que disfarça os esbarrões com a cadeira de rodas;
Os espaços livres “cresceram”, diante da necessidade especial de espaço para circulação da cadeira de rodas entre patinhas 'semoventes';-))))

A cadeira de rodas pode danificar cantos vivos, então...



O tapete ‘sobe’ na parede para que a cadeira de rodas não a danifique... eu ainda gosto de ‘janelar’ ;-)

O sofá da sala não precisa acumular pêlos velhos e ‘fedorentos’, espantando os visitantes... outrossim, cachorrinhos precisam ver lá fora sem incomodar os humanos. Um sofá de junco com almofadas soltas e mais uma espécie de aparador estrategicamente posionado resolvem a questão satisfatoriamente;

O cachorrão late no portão (é o trabalho dele) e faz cocô (tudo que entra, sai... e sai fedido;-) Ele fazia cocô bem na porta da cozinha da minha nora..remodelamos o quintal.

16 de fev de 2012

O POMAR

Ter passado a infância numa fazenda foi muito proveitoso, pois ali  foram semeados, em mim, alguns conceitos que, hoje sei, foram bem cultivados e ficaram bem enraizados. Conceitos de respeito pela Natureza.


Transpor a “porta do pomar” era fantástico.


A lembrança mais viva que trago da infância, transformou-se em versos publicados no meu primeiro livro (tiragem esgotada).
INFÂNCIA
Goiaba de comer do pé.
Da árvore grande na porta do pomar.
Árvore de subir, balançar, cair.
Goiabeira é casinha, circo, escolinha.
Goiaba! Gosto bom de lembrar.
Melhor do que goiaba...
Goiabeira!
Na porta do pomar.
Meu tio (marido da irmã da minha mãe) embrulhava cada fruta num saquinho de pano, para que não fosse bicada pelos passarinhos...
O “tio” era muito meticuloso e quando nós, as crianças de então, pedíamos alguma explicação, a resposta era cansativa... mas algumas atitudes dele respingaram em mim e captei...
Acredito que gostar de bichos seja genético... mas, CRESCI vendo respeito:
O “tio” punha saquinho nas goiabas...  nunca o vi usando agrotóxico e nem matando passarinhos.
Tínhamos muitos bichos, mas não havia nenhum engaiolado.
Bicho de estimação não se confundia com bicho doméstico.
E haviam plaquinhas por toda a fazenda: “PROIBIDO CAÇAR”.


ESTE POST HOMENAGEIA O
TIO ORANI,
QUE FALECEU AOS 94 ANOS.

14 de fev de 2012

NATUREZA URBANA

Eu vi!!!
Uma sabiá construia seu ninho na Primavera acima da janela do meu cantinho de trabalho.
Diariamente eu a via carregando galhinhos e folhinhas secas... o ninho ficou pronto e parecia seguro. Dona Sabiá ficou ali deitada e quietinha, creio que botando e depois chocando seus ovinhos. Depois eu a vi pegando insetos e trazendo no bico, certamente para alimentar seus filhotes.
Um dia, o movimento acabou e observei, preocupada, que o tempo transcorrido não suficiente para que os filhotes tivessem  alçado o primeiro voo.
Mandei investigar o local e o ninho estava vazio... um galho foi balançado com violência e caiu ao chão uma coleira apropriada para gatos.
Solucionou-se o caso... um gato doméstico comera os passarinhos recém nascidos.
Até seria natural se não tivesse sido tão... URBANO, tão... HUMANO!!

13 de fev de 2012

O LAGO DO AMOR

AVISO AOS NAVEGANTES: ESSA POSTAGEM É REPETECO.

O LINDO LAGO DO AMOR
Gonzaguinha

“E bem que viu o bem-te-vi,
A sabiá sabia já.
A lua só olhou pro sol;
A chuva abençoou
O vento diz "ele é feliz"
A águia quis saber
Por quê, por que, pourquoi será
O sapo entregou
Ele tomou um banho d'água fresca
No lindo lago do amor
Maravilhosamente clara água
No lindo lago do amor.”


É difícil encontrar uma pessoa adulta que nunca tenha mergulhado nesse lago.
Raras vezes o lago é calminho... Normalmente é profundo, intenso e requer muita coragem para mergulhar de cabeça. As águas desse lago são claras, tépidas e atraentes.
Seria, esse lago, encantado???

Entretanto, nesse lago só cabe um par de pessoas... se uma terceira pessoa entrar, a água fica revolta, turva e malcheirosa. Alguém deve sair do lago. E, nesse caso, as margens do lago tornam-se agressivas, inóspitas e pontiagudas... quem sair vai ficar esfolado(a) mas sobrevive e pode atravessar o terreno hostil que margeia o lago ou ainda, procurar outro lago pra mergulhar.
A segunda hipótese pode ser arriscada demais... quem saiu do lago está esfolado... suas feridas podem sangrar e poluir o novo lago do amor.

Então, pense suas próprias feridas, recomponha-se, ame-se e só então mergulhe novamente... ou não!

O primeiro lago do amor em que mergulhamos é inesquecível... e no meu caso, depois de curadas as feridas do corpo e da alma, a lembrança é boa.
Nunca mais quis me arriscar no lago, e me satisfiz em flutuar no mar.
Confesso aqui minha "covardia"!




"A SABIÁ SABIA JÁ."

9 de fev de 2012

UM ANO ASSIM, ASSIM

Há um ano ‘inaugurei’ o ASSIM, ASSIM, procurando uma forma alternativa de comunicação... e encontrei um pouco mais do que isso...
Hoje faço um passeio comemorativo, ‘navegando’ por aí... venham comigo!!!

Em http://deixaaser.blogspot.com a Alê sempre traz vários pensamentos curtos, que me ajudam no dia a dia, me fazendo ver a vida de maneira mais leve e apropriada.

Em http://avogi.blogspot.com  a Giselda (avoGi) nos conta, de forma bem humorada, seu cotidiano de dona-de-casa, de mulher, de avó de três “pulguinhas”.

Em http://mosaicos-cida.blogspot.com tenho a alegria e leveza da Cida... ali eu me sinto  na “casa da minha irmã”...

Em http://minhaformadeexpressao.blogspot.com  a “Srª. Nathalia” me informa como pensa uma adolescente... o blog (que não sei se é real ou fictício) é como o diário de uma adolescente.

Em http://crystalvisionsmeire.blogspot.com abasteço a alma da ternura de uma mulherquasemenina e sempre com a marquinha de um “beijo estalado na bochecha”.

Em http://ahseeufossevoce.blogspot.com identifico-me com a irreverência sincera e bem humorada da Fê... minha nova “amiga de infância”...

Em http://queiratocaroceu.blogspot.com a Luciana cuida de manter viva a minha fé nO Altíssimo, através de textos escritos por ela mesa com doçura e seriedade.

Em http:nuvemdeestrelas.blogspot.com a Regina Celia nos transporta a um recôndito elegante, fino, luxuoso e chiquérrimo... um lugar daqueles em que devemos estar bem maquiadas para adentrar e que precisamos frequentar.

Voltando pro meu http://janassim.blogspot.com  passo lá no Jeff http://jefhcardoso.blogspot.com e leio algum texto que me obriga a ultrapassar meu limite e enxergar além... é que além de excelente cronista, o Jefh é Fisioterapeuta.

Ops!  Nem passei em http://fractaisdecalu.blogspot.com mas sempre lembrarei: lá aprendi que é melhor “cuidar do meu leão” do que tentar matá-lo a cada dia.
 

PARABÉNS PRA MIM!!!

7 de fev de 2012

DISTÂNCIA

HOJE FUI À
EQUOTERAPIA E
CONSTATEI QUE:

PARA UMA PESSOA USUÁRIA DE CADEIRA DE RODAS, A DISTÂNCIA ENTRE SUBSOLO E COBERTURA É IGUAL À ALTURA DE UM CAVALO.

6 de fev de 2012

EM FAMÍLIA

O link abaixo é de um blog da minha nora, no qual, corajosamente, meu filho se deixou filmar... ANTES, uma boa motivação no MEIO e DEPOIS...
http://manualvegetariano.blogspot.com/

O blog tem o vídeo referido e "otras cositas ...".

5 de fev de 2012

REVELAÇÃO

Minha casa é catártica...
Ainda caçadora de mim, vou me revelando a ela e a mim.
Gosto de ‘brincar seriamente’ com lembranças do passado, com presentes e com o presente.
No meu jardinzinho estão a bicicletinha que NÃO tive quando criança...
a gaiola aberta com planta crescendo lá dentro e “escapando” pelas 'janelas'...

 sapos  refestelados, alegres e até sexys compondo um pequeno cenário (cerâmica)   
e ...
a boa e velha primavera, que sofreu mais um abalo ao ter sua seiva sugada por pulgões verdes, recebeu o tratamento adequado e está  se recompondo, para me alegrar com suas novas folhas, flores e seu frescor, enquanto houve seiva circulando em seu tronco.

1 de fev de 2012

ONDA VAI, ONDA VEM

Revendo os posts dos dias 24/04/2011; 19/05/2011; 10/07/2011; e, 28/09/2011, ou quem acompanhou o caso, saberá o ocorrido.
Talvez uma imagem ajude:

No dia 17/01/2012, houve a 1ª Audiência diante de um Juiz e a última de Conciliação (diante de um Conciliador).
A conciliação foi sugerida pela Juíza e acordamos.
Sinto que ASSIM, ASSIM se fez justiça.
Estou moralmente recompensada.

PS: Como parte do acordo, eu me comprometi a não publicar seus próprios termos.
A ré cumpriu sua parte no acordo e agora cumpro a minha, divulgando apenas o fim da demanda e não os termos da conciliação que pôs fim à mesma.