PÁGINAS INDEPENDENTES

31 de mai de 2012

VIVA!!!!


"NÃO TENHO MEDO DE MORRER. TENHO PENA"
(Chico Anysio")

DÁ PENA MESMO, POIS A VIDA É BOA. MAS...
DEPOIS VIRÁ UM TEMPO SEM TEMPO.

QUAL SERÁ A MELHOR ÉPOCA DA VIDA???

 PARA AS CRIANÇAS – DEVE SER A INFÂNCIA

 PARA OS ADOLESCENTES – DEVE SER A ADOLESCÊNCIA

 PARA OS ADULTOS – DEVE SER A MATURIDADE

 
PARA OS VELHOS – DEVE SER A VELHICE


O MELHOR TEMPO DA HUMANIDADE É HOJE 

27 de mai de 2012

O CAMINHO DE NESTOR E CLARA


Este legado me inspirou e escrevi:

Clara era bem jovem e ainda não tivera tempo de conhecer-se.
Apaixonou-se e teve sua paixão correspondida pelo Nestor, que também era bem jovem. Um dia, veio o “diagnóstico” da VIDA, através de uma frase de Nestor:
-“Cada um de nós precisa de um tempo para si mesmo...”.
- Mas... mas... por que?... p’ra que??????
Clara ficou confusa e Nestor parecia firme e consciente, apesar da tristeza estampada em seu rosto.
-“Minha querida Clara! Você não vai me perder... você vai SE ganhar! Eu vou ME ganhar! Um dia voltaremos a nos encontrar por inteiro.”.
E saiu, limpando uma lágrima teimosa, que Clara não viu.
Clara ficou meio desesperada por um tempo, mas depois se conformou... pensou e repensou o assunto e, afinal, viu que Nestor tinha razão.

Cinco anos se passaram... Clara cultivou um jardim e cuidou dele... um dia estava regando as plantas e contemplando as flores, quando uma linda borboleta colorida veio pousar no seu ombro.
Olhou para o pequeno portão do jardim e viu um rosto sorridente estendo-lhe a mão... correu até o portão e segurou na mão que lhe era estendida.
E, de mãos dadas, Nestor e Clara caminharam, com passos firmes, pelas alamedas da VIDA.


Borboletas voavam
entre o céu e o caminho trilhado por Nestor e Clara....

21 de mai de 2012

HISTORIA: CADA UM TEM A SUA.



DIFERENTES


REALIDADES

Há uns 10 anos, escrevi:
O IDEAL E O REAL

Seria muito bom se tudo fosse ideal.
Mas não é. É real.
Nem melhor, nem pior. Só real.
Pode frustar perseguir o ideal, quando é feio, o real.
O real não vem de realeza, mas de realidade.
Melhor enfrentar o real com os pés no chão
e deixar só a cabeça sonhar com o ideal.
Pedra é pedra, pau é pau!

Ontem, um acontecimento corroborou minha teoria, aqui exposta em forma de poesia.
O Duda (um dos meus filhos) veio me mostrar seu novo carro.
Fiquei feliz por ele e, examinando o carro, verbalizei estar feliz por ele, mas não almejo um daqueles, pois não consigo mais dirigir...

Em  contrapartida, apontei para um cantinho de jardim que abriga parte da minha historia feita de frustrações e realizações. 

18 de mai de 2012

A VIDA, ASSIM COMO É


Posto aqui para que todos os PNEs saibam que podem curtir a vida, mesmo que seja através de mãos alheias... mesmo que tenha as mãos descoordenadas, como eu.
 Eu curto cuidar das plantas e o “murinho” de clorofito requeria uma atenção especial.
PS: No condomínio em que moro é proibida a construção de muros altos dividindo os jardins frontais das unidades...

14 de mai de 2012

A HISTÓRIA DO MOLHO QUE VIROU QUADRINHO

Quando nasceu meu 3º filho, eu estava sem ajudante e vivia ‘dormindo em pé’;-)
No final da tarde daquele dia, o pai dos meninos chegou do trabalho, deu um lanche para os dois “grandes” e eu fui deitar com o “pequeno”...
Resultado: dormimos todos.
O telefone tocou e eu atendi, ainda meio dormindo e com a sensação de ser madrugada;-))) Era uma amiga querendo me transmitir uma receita, como eu havia pedido alguns dias antes.
Eu a ouvia como num sonho e perguntei as horas...  ela, rindo, respondeu que eram 20h e 30m:
“Vá dormir! Amanhã eu volto a telefonar.”
No dia seguinte, copiei a receita e fiz o molho várias vezes, durante muitos anos..
Na semana passada, arranquei a folha do meu velho caderno de receitas, e “fiz” um artesanato novo...

1 PIMENTÃO VERMELHO; 1 PIMENTÃO VERDE; 250 GRS. DE CATCHUP; 125 GRS. DE ÁGUA; 1 XÍCARA (das de café) DE VINAGRE; 2 CEBOLAS PICADINHAS; CHEIRO VERDE; MOSTARDA; AZEITE DE OLIVA; SAL
A receita é boa... pode fazer. 
O molho é ótimo para comer com pernil (ou com qualquer coisa).
Ahhhh! e pode "reaproveitar" a ideia também;-)

13 de mai de 2012

No mês das mães, a MÃE NATUREZA (cujo comandante é DEUS) prepara a minha taça... e eu brindo com todas as mães do mundo.
TIM, TIM!

11 de mai de 2012

ELAS

Essas mulheres fizeram parte da minha vida.
TIA OLGA (de branco)
VÓNÊ (colar de pérolas)
TIA ANÉSIA (casaco xadrez)
MINHA MÃE (sorrindo - atrás e acima)
Um dia, vou me encontrar com elas no céu.

POR ENQUANTO, POSSO APENAS HOMENAGEÁ-LAS "IN MEMORIAN".
E.T.:Aos primos Marcelo (tia Anésia) e Osnei (tia Olga)agradeço pela foto.

10 de mai de 2012

6 de mai de 2012

REFÚGIO DE MIM


Para chegar aqui, superei vários tropeços e até quedas, mas hoje sei quem sou, qual o meu jeito de ser.
Minha casa é meu refúgio especial, contém a minha história e é romântica e pragmática assim como eu.
OBS: Por eu ser uma PNE, minha casa tem adaptações especiais, no piso inferior.
OBS II: Por ser bom eu ter alguém da família perto de mim, minha casa abriga dois lares, sendo que, no piso superior fica o do meu filho mais velho e família.
NÓS, no aniversário (15) da Giovanna

3 de mai de 2012

RADICAL!!!!!

Ontem foi DIA DO ASMÁTICO (eu não sabia que havia tal data).
Por falarem em ASMA, me lembrei de um episódio:
CERRO AZUL
Foi quando colegas da faculdade, fomos passar o fim de semana no sítio recreativo dos pais de uma amiga, em Cerro Azul. O local é próximo a Curitiba, mas a estrada que leva até lá é bastante precária, pois seu traçado em meio a uma pequena serra, tornava-a perigosa. E mais ainda naquela época... Meu filho mais novo foi comigo e, pré adolescente, levou um amiguinho.
Ficou combinado que cada um iria em seu próprio carro. E lá fui eu, dirigindo meu velho chevetinho, sem conhecer a estrada, com dois moleques a bordo. A estrada era estreita, dando voltas nos morros e... de terra.

Gente, que poeira! O párabrisa dianteiro ficou cheio de terra e eu não conseguia enxergar. Então, encostei bem pra direita, parei bem perto do barranco, tirei a meia de algodão branco do pé do meu filho, sai do carro e, rapidamente, limpei o vidro do carro...

Enfim, chegamos. Era muita gente e alguns dormiriam em barracas no quintal e, entre eles, "meus meninos". Meus amigos ajudaram a montar a pequena barraca que leváramos e fomos ver o que havia na mochila do meu pequeno convidado quando ele gritou:
-"Tiaaaa! esqueci de trazer a bombinha!"
- Bombinha???
-"Se eu tiver crise de asma."
Então fiquei assustada de verdade...
Resumindo, passei a noite na barraca, entre ambos os meninos... numa barraca Iglu... e de olho na respiração do asmático.
Que noite!!!!
No final do domingo, quando nos despedimos, o dono do sítio olhou para os morros que pareciam 'cair' sobre nós e comentou:
- "É... tiveram sorte... se chovesse ninguém sairia daqui!"
?!?!?!?!!!!!!!!!!!