PÁGINAS INDEPENDENTES

28 de fev de 2013

ENFRAQUECENDO RELAÇÕES SOCIAIS

Amigos! Sei que ando devagar (quase parando) aqui na blogosfera e não me sinto bem com isso...
Aconteceram coisas que me atrapalharam.
Tive um "resfriadão quase gripe" (um pediatra me ensinou quando eu era "a mãe dos pimpolhos") e procuro cuidar de mim, de maneira ESPECIAL, pois o uso constante da cadeira de rodas traz sérias dificuldades respiratórias devidas à falta natural de atividades aeróbicas. Não! não pensem que aí vai qualquer traço de vitimismo ou reclamação. É apenas constatação da minha realidade ESPECIAL...

Começo de ano (depois de todas as férias e festas) é tempo de "tour" pelos consultórios médicos... semana passada fui ao oftalmologista e houve uma alteração drástica nas minhas lentes. Mandei fazer novas e hoje elas chegam... vai ser bom. Talvez minha cabeça não doa e me deixe escrever por mais tempo.

19 de fev de 2013

SOMBRAS

"Mamãe está ficando difícil..."
Minha amiga e seus familiares foram passar o Natal com a mãe já idosa e muito fragilizada por uma doença grave. 
O tempo estava bem típico de verão e a família providenciou para que o almoço fosse servido sob as árvores, no quintal.
"Mamãe" concordou e, apática, encarou as filhas e apontou pra sua cuidadora:
"- Mas não quero essa SOMBRA atrás de mim!"...

Aquele relato me levou a refletir... 
Infelizmente, os Portadores de Necessidades Especiais, NECESSITAMOS de acompanhantes... ou sombras... enquanto essas pessoas são nossas sombras, é... suportável. Mas... se nos tornarmos a sombra dessas pessoas, é quase enlouquecedor.

15 de fev de 2013

BARONESA

uma cachorra igual a esta me mostrou que um cão é excelente companhia pras crianças
Vivi em Campo Grande/MS até os 3 anos de idade. 
Eu era a segunda filha de três, ou seja, eu fui a do meio, até que a mais nova faleceu aos oito meses de idade. 
Algum tempo depois, minha família mudou-se pra uma fazenda, no município de Valparaíso/SP. Fomos de trem, numa longa viagem, até a Estação de Aguapei.
Tudo era novo e estranho, até que se abriu a porta do vagão de carga do qual meu pai tirou uma caixa enorme e dela saiu a Baronesa – uma grande fêmea de "Pastor Alemão", . 
Foi uma ótima surpresa, pois eu não sabia que ela também viria. Meus pais contavam que a abracei com inusitado entusiasmo. Baronesa foi uma referência... ali nasceu uma intensa amizade, pouco compreendida pelos adultos. Meus pais se diziam temerosos daquele convívio, pois eu ainda era muito pequena e a cachorra poderia me ferir, mas eu escapava e corria pra ela.
Hoje acredito que meus pais tentaram fugir da dor que sentiam, mas não deu certo e eles foram submersos pela dor... A bondade do Criador fez com que uma criatura canina viesse conosco, amenizando o peso incompreensível que vi na face dos meus pais durante muito tempo. 
Por outro lado, aprendi que
NÃO PODEMOS "FUGIR" DOS SENTIMENTOS, POIS ELES SÃO PARTE DE NÓS E NOS ACOMPANHAM AONDE QUER QUE FORMOS. PODEMOS É DESVIAR NOSSO OLHAR E VER AS COISAS BOAS QUE NOS RODEIAM, COMO FLORES... PÁSSAROS... BORBOLETAS E OUTRAS "BARONESAS" QUE A VIDA NOS OFERECE;-)

13 de fev de 2013

VIRTUAL


Ontem li, numa postagem aqui nas vizinhanças da minha comunidade blogosférica, que o blog está num mundo paralelo... fiquei assustada pois, para mim, “mundo paralelo” é meio... sobrenatural e ‘non sense’.

Veio-me imediatamente à memória um relato feito por um jovem deficiente físico que dizia: “Ninguém pode viver apenas virtualmente.”

Lembrei-me também que existem (será que ainda existem?) bichinhos virtuais  que tinham que ser “alimentados”, “limpos”, “agasalhados” para não “morrerem”... tudo virtualmente...
Será que virtual é de mentirinha? SERÁ FAKE??????

Então, desengavetei o velho e bom Aurélio (um dicionário enorme – preciso de ajuda para manuseá-lo...) e li dois conceitos:
Um FILOSÓFICO – suscetível de vir a se realizar; potencial.
E outro DE INFORMÁTICA – uma emulação (imitação, estímulo) através de programas de computador, de determinado elemento físico.

Como sou antiga mas não antiquada, juntei as duas definições numa só ... agora temos uma definição FILOMÁTICA...

VIRTUAL – É UM “PROTÓTIPO” FEITO COM PALAVRAS, IMAGENS E MOVIMENTOS TECNOLÓGICOS, COM POTENCIAL DE REALIDADE MATERIAL.
Em outras palavras, um encontro virtual entre pessoas, pode vir a ser presencial... um projeto arquitetônico digital, pode vir a ser uma construção de cimento e tijolos.
Ainda, pode ser um fazdeconta de gente grande... ou de gente que faz de conta que é grande.


OBS: nossas atividades virtuais se materializam em grandes computadores,  e outros pequenos artefatos eletrônicos que se conectam a eles por ondas magnéticas (a grande REDE invisível) e facilitam nossa vida terrena.

É... “não é (só) brinquedo não!”.

12 de fev de 2013

1+1+1=1³

Costumamos dizer que um livro é quase um filho... que um blog é quase um filho... que um pet é quase um filho...

Mas, somente filho É filho... e cada filho é ÚNICO.

Tenho três filhos... digamos que sou mãe à terceira potência;-)
Hoje é aniversário do meu filho número dois... o Eduardo.
O Duda nasceu há muitos anos... há uns vinte anos, escrevi uma poesia e hoje a dedico a ele.


SANDUICHE

Primogênito – realização primeira.
Caçulinha – curtição derradeira.
E no meio, o do meio.
De curto reinado... sem nunca ter sido o único.

Deslocado, complicado, consciente. 
Olhando a vida de frente.
Sem medo da cara feia do caos.
Companheiro.
Independente.
Compreensivo.
Exigente.
Racional, enquanto pode.
Passional, quando explode.
“Moço ajuizado, bem empregado”...
De “dodge dart” verdão
e revólver na mão
-     “Pega ladrão”!
Incoerência? Coragem?
Determinação?
Combinando traços opostos
no meio.




9 de fev de 2013

O B Á ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! !

No dia 09 de fevereiro de 2011 o ASSIM, ASSIM foi publicado.
Daquele dia até hoje, aprendi muito... fiz até um selinho de aniversário... está aí, disponível pra quem vier nos visitar.

E, de presente pra mim mesma, temos a inauguração de um novo blog: o E-LIBRARY(uma biblioteca virtual) cujo endereço é http://thebookishere.blogspot.com.br/.





Vá lá, hoje é a inaguração.











Ajudem-me a encher as prateleiras!



7 de fev de 2013

EXERCITANDO A MEMÓRIA EM MOMENTOS DE DESCONSTRAÇÃO


Minha participação na BC, conforme banner acima, está nos itens abaixo.

"Havaianas... não perdem as tiras e não tem cheiro."

"Melhoral... é melhor e não faz mal!"

"Se a marca é Cica, bons produtos indica."

"Tô certo ou tô errado?"

"Só abro a boca, quando tenho certeza!"

"Sou chique, bem!"

"Bola no chão, que o jogo é de botão!"

"Ai! que dor nos quarto..."

"Agora que a brincadeira tava ficando boa!"

"Pediu pra parar... Parou!"