PÁGINAS INDEPENDENTES

9 de jun de 2015

VIDA DE ARTISTA

Uma postagem no Facebook me levou ao Youtube. Passeando por lá, deparei  com a trilha sonora do filme “Léo e Bia”... o que me  transportou aos anos 60, 70 e 80, qual máquina do tempo.
Eu era pouco mais que criança (quase adolescente) quando Brasília foi concebida. Era muito observadora e percebia esperança nos adultos, muita esperança, como se a construção de uma capital “no centro do Planalto Central” fosse uma dádiva. Algo assim ... “urgente e preciso”.
Mas, o decurso do tempo foi mostrando que, aquela cidade planejada e setorizada, de arquitetura lógica, simples e despojada, abrigava “os anjos e demônios de cada um” e ali impera a “lógica do mundo”...

“Hoje ainda gosto de olhar pro mundo”, mesmo “sem compreender o que meu olho encontra” e “ olho pra Brasília”: “tá tudo igual”.

SOBRE O FILME:

Brasilia, 1973.  No auge da ditadura militar, sete amigos, jovens como a cidade em que moram, sonham viver de teatro. Liderado pelo diretor Léo, o grupo  leva adiante os ensaios de uma peça. Enquanto a repressão política rola solta na capital federal e a liberdade sexual ainda é tabu, Bia se mostra cada vez mais prisioneira da obsessão de sua mãe, fazendo com que todos questionem, cada vez mais, os conceitos e valores da sociedade. 


Recomendo que se assista o filme, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=Gzvrhcavj3w