PÁGINAS INDEPENDENTES

26 de nov de 2016

... EM ONDAS...


Meu primeiro livro publicado foi nominado “É ASSIM.”, com ponto final mesmo.
Eu estava muito revoltada  e via a cadeira de rodas, bem como a casa que tive que construir, como uma condenação que eu considerava injusta.
Encontrei muitos tropeços e algumas poucas vitórias, sempre com a pecha de “deficiente”. o que NÃO ME DEFINE.

Um dia, fiz um blog. A Internet abrira o leque e meu computador deixou de ser visto, por mim, apenas como uma  grande, eficiente e moderna máquina  de escrever.
Minha primeira visita virtual foi ao “FRACTAIS” da Calu. Ali havia um texto divulgado, no qual uma frase mexeu comigo:
“Pare de matar um leão por dia... Cuide do seu leão!”
Pensei que era inegável o fato de eu  ter um leão. Eu tentava matá-lo diariamente e no dia seguinte ele voltava. Meu cansaço era enorme!
Juntei minhas ‘forças’. fiz outro blog e pus o leão lá... visitava-o regularmente e alimentava-o... pra minha surpresa, o leão foi diminuindo de tamanho, até voltar a ser filhote... então soltei o leão, excluindo definitivamente aquele blog “SOBRE RODAS”.
Sei que ainda tenho um leão e continuo cuidando dele, mas ele não me ataca mais.
Hoje sou uma MULHER que não pode dispensar ajuda nenhuma, mora numa casa confortável e locomove-se usando uma cadeira de rodas.


Sei que “A VIDA VEM EM ONDAS, COMO O MAR” e que não “É ASSIM.”, é “ASSIM, ASSIM...”.

10 de nov de 2016

AQUELA "RECEITA"

- “Compre uma boa cadeira de rodas e vá viver a vida”.
Foi assim que o neurologista me "receitou" uma cadeira de rodas:
- EEEEEEUUUUU!?!?!?!?!? eu...

Fazia quase um ano que eu estava "perseguindo" a doença neurológica, na esperança de identificá-la, encontrar a cura, retomar meu trabalho, meus estudos, minha vida enfim.
Depois de muito “mi, mi, mi” inútil, vejo-me seguindo  aquela "receita".
...

Vinte anos depois, estou vivendo a vida numa cadeira de rodas, numa casa construída especialmente para o meu novo “modus vivendi”.
Portas largas, sem degraus  – para eu circular livremente com minhas rodas.
                                                             
Porta dos fundos

Pota da frente
Na entrada/saida do meu quarto, os cantos dos móveis são arrendados e/ou chanfrados, para evitar 'abalroamentos'.

Saindo...

entrando...
Tornei – me interessadíssima e até estudiosa de pets, especialmente cães e de plantas decorativas, especialmente as que dão flores.
                                                                       
É assim que a Luna, o pequeno Dog e a nova Baronesa ficam quando eu saio de casa - obrigada pela foto, Sil
Ih! A Luna passou na frente. bem quando eu queria fotografar uma coisa linda...
 ...o "antúrio' vai florescer. Lá estão os botõezinhos vermelhos sob as folhas.
                                                                             
Tenho orgulho da minha casa, pois ela representa minha tomada de posição diante da vida.
Minha casa transborda minha história, desde quando eu andava de bicicleta com cestinha, até hoje, quando "tirei onda" de fotógrafa e...
Esta aí foi presente da minha neta Bruna, 
... fotografei minhas novas rodas, pintadas e servindo de vasos para pequenas suculentas.                                                                                  


Agradeço a Deus que sempre me deu, dá e dará condições psicológicas, física e financeira para manter minha qualidade de vida. 
E tudo começou com AQUELA ‘RECEITA', passada por um médico que, estando no momento certo e no lugar certo, disse palavras duras, que me fizeram compreender a grande e difícil arte de aceitar os dissabores da vida!

                                            VALEU DR. PAULO!!