PÁGINAS INDEPENDENTES

18 de jun de 2011

VÓ NÊ

Amigos! Minha cirurgia foi um sucesso... mas vou poupá-los de detalhes ou fotos escabrosos.
Como prova de que estou bem, vou postar uma homenagem à minha avó materna.

Quando eu era uma jovenzinha e ela era apresentada a alguém,
estendia a mão senil e dizia com voz firme: “_ Muito prazer! Maria Garcia Diniz.”
E me remetia ao passado...
Eu me via criança, ouvindo “causos” de parentes que me faziam rir, junto com meus primos, ao entardecer; e...  num riacho, brincando com meus primos, sob o cuidado daquela senhora enérgica e “boazinha”, conhecida como Dª Nenê, mas que, para os netos, era simplesmente a Vó Nê.
Meio cúmplice: “_Sua mãe não pode saber, viu menina!”, e meio carrasca, com o chinelo na mão, perseguindo bundas previamente avisadas de que iam apanhar...  e batia forte.
Companheira... sentada, fazendo lições da cartilha com os netos, eis que todos (inclusive a Vó Nê) estávamos sendo alfabetizados..., ou sentada no chão ao meu lado, ensinando-me os primeiros pontos de crochê... ou sentada à máquina de costura: “_Sai, menina! Não atrapalha!”... e depois mostrava, com satisfação, um vestido novo pra alguma boneca...

Nunca percebi nenhuma preferência por algum neto... mas quando minha irmã mais velha se destacou do grupo por estar prestes a entrar na adolescência, percebi cochichos disfarçados e olhares de cumplicidade. Vi o entusiasmo da Vó Nê pelo Elvis Presley e pelos Beatles.
Tempos depois a vi vibrar com a interpretação da Elis Regina: ”Aquela mocinha que quer voar.”...
Depois ainda eu a vi incentivando-nos a imitar o Nei Matogrosso, quando ele virava homem e lobisomem...
Depois casei, mudei e a relação neta/avó se alargou...
Senti aquela mesma sensação de estreita proteção, quando, logo após meu divórcio, ela me fez uma visita e, entre críticas e comentários dos familiares ali presentes, ela se reclinou na minha cama, olhou em volta e perguntou:
“_ Estas paredes são suas, de papel passado?” Sim! O pequeno apartamento era meu....
“_ Seus filhos estão aqui?” Sim, estavam...
“_AAHH! Então você vai ficar bem;-)”.
Nunca me esquecerei daquela piscadela e...
Vou estar sempre bem, aconteça o que acontecer.

Por outro lado, sempre sigo a exortação que ouvi desde criança:
“_ Presta atenção na VIDA”.

A Vó Nê viveu 95 anos e nunca perdeu a “pose” de mulher simples, mas não simplória...
Maria Garcia Diniz... MINHA Vó Nê!

9 comentários:

  1. Ana Maria de Medeiros Diniz19 de junho de 2011 18:44

    Nossa chorei!!!Fui em Apucarana nos anos 60 agora...Também sou uma Diniz!!!

    ResponderExcluir
  2. NÃO CHORE! VOCÊ TAMBÉM TEM BOA PROCEDÊNCIA.
    VIU A FOTO: EU,NIZINHO, MARCIA, ACELINO, NEI E TÉRCIA?
    SÓ FALTA VOCÊ...

    ResponderExcluir
  3. "Presta atenção na VIDA!"

    Sábio conselho!

    Também eu, tive uma avó adorável (mãe do meu pai).

    Quanto às chineladas, levei muitas, mas do meu avô materno (não tive avó materna, pois ela faleceu quando minha mãe tinha 4 anos).

    Menina, menina, fiquei tão satisfeita em saber que tudo correu bem na cirurgia!

    Espero um bocadinho, e depois coloque fotos dos olhinhos novos pra gente ver, tá? ;-)

    Tenha uma linda semana.

    Beijos, e fique com Deus.

    Cid@

    ResponderExcluir
  4. CIDA, AVÓS "MORDEM"... MAS "ASSOPRAM" DE MANEIRA INESQUECÍVEL, NÉ?;-)

    SOBRE A CIRURGIA... QUANDO ESTIVER 'LINDONA';-), POSTO O "DEPOIS"...POR ENQUANTO, VEJA: http://www.facebook.com/photo.php?fbid=208838885818220&set=a.168022353233207.27219.100000763313097&type=1&theater

    TENHA UMA ÓTIMA SEMANA!

    ResponderExcluir
  5. Oi Jan,
    vim te deixar meu novo endereco:
    http://sou-da-cris.nets.at/

    bj

    ResponderExcluir
  6. Fui ver suas fotos...;-)

    Muito lindos seus "guardiões"!

    Fiquei encantada com o seu netinho!
    Ele é irmão da Bruna?

    Fico agora no aguardo de uma foto do "depois", okey?

    Beijão, e te cuida.

    Cid@

    ResponderExcluir
  7. CIDA, VC DEVE TER VISTO O FABINHO, QUE É PRIMO DA BRUNA... ELA TEM UM IRMÃO (O FE)... MAS EU EVITO EXPOR OS NETOS NA INTERNET...
    NA VERDADE, EXPUS O CACHORRO. VC NEM DEVIA TER VISTO O MENINO;-)
    MAS, FOI BOM VC TER VISTO... VOU TENTAR EDITAR.

    ResponderExcluir
  8. Que linda essa passagem da sua vida minha prima, eu também tive meus dias de glória com ela, foram vários momentos inesquecíveis...
    Quero citar um dos últimos momentos destes...
    Ela sempre teve vontade de usar alguma roupa vermelha, mas sempre que falava sobre isso com as filhas, elas sempre reprovavam a idéia.
    E num belo dia, ela estava hospedada em casa e comentou sobre isso com a mamãe (sua sobrinha) que seu sonho era ter uma jaqueta vermelha, e minha mãe mais do que depressa foi com ela ao shopping e compraram uma linda jaqueta vermelha para ir ao meu aniversário.
    À noite estava ela na festa toda charmosa com os cabelos brancos e com aquela jaqueta vermelha para realçar a sua beleza.
    Saudades daquela grande mulher!!!

    ResponderExcluir
  9. Olá Glá Maria, você é a Gládia, filha da Nilda, né?
    A VóNê gostava muito da sua mãe.
    As filhas dela (principalmente minha mãe) eram muito 'mandonas'...
    Eu nunca soube desta história da jaqueta vermelha... realmente, eu nunca de roupa vermelha, ou qualquer cor viva... coitada!

    Abração
    Jan

    ResponderExcluir

QUE BOM QUE VOCÊ VEIO!
PRETENDO RESPONDER AO SEU COMENTÁRIO...
SENTE-SE, TOME UM CAFEZINHO E CONVERSE COMIGO.

VOLTE SEMPRE