PÁGINAS INDEPENDENTES

2 de set de 2011

INSTINTO & RACIOCÍNIO

Eu sempre estive um tanto acima do peso ideal pra minha altura, que nunca foi grande coisa... Ainda criança, questionei:
- Mãe, eu queria ser como os bichos... eu nunca vi girafa gorda, nem elefante magro...
Ela riu e explicou:
“- É uma longa história: quando Deus criou o mundo, deu aos bichos uma coisa chamada instinto que eles seguem sem questionar e quando criou o ser humano, deu um dom especial chamado raciocínio".
Aceitei a explicação e acreditei nela, pois fazia sentido com o que eu via  e com que eu ouvia nas aulas de catequese.
E segui "prestando atenção na vida", o que fez de mim a ‘achóloga’ que sou hoje;-)
Insisto que cada ser humano deveria procurar saber como é o comportamento de cada espécie animal, sabendo que o comportamento dos bichos é guiado por seu instinto e, termos uma convivência agradável com eles.
Bichos são como são... nem bons, nem maus, apenas são e, por apenas serem, assimilam a índole do próximo humano.
Quer gostemos dos bichos ou não, o fato é que eles estão aqui. Podemos decidir por matar todos... e talvez até consigamos, pois podemos racionar e ‘bolar’ um jeito... mas eles são parte de um plano maior, no qual não convém interferirmos mais do que já interferimos...
O instinto é uma inteligência rudimentar e sem raciocínio.
O Homem, enquanto animal que é, também tem instinto... mas, o ser humano foi contemplado com um “plus”- o RACIOCÍNIO.
Assim:
Instinto + raciocínio = animal racional = SER HUMANO (capacidade para entender, julgar, concluir, etc); ou
Assim:
Instinto = animal irracional + BICHO ( incapacidade para entender, julgar, concluir, etc).

 Bichos têm sentimentos?
“Quem gosta de bicho não duvida que seus companheiros de estimação sentem simpatia, indignação, ou gratidão; cientistas, porém, fazem distinção entre respostas a estímulos e a interpretação das próprias emoções.“
por Klaus Wilhelm

Eu gosto de bichos e não sou cientista. Portanto gosto de acreditar/pensar que  meus pets têm sentimentos... mesmo que esses sentimentos sejam limitados pelos seus instintos animais e por minhas fantasias racionais;=)

3 comentários:

  1. Ah, é tão bom estar com eles, né...As pessoas estranham quando converso com meus "filhichinhos"(filhos+bichinhos), mas eu estranho muito mais elas por elas não compreenderem isso. :)

    ResponderExcluir
  2. Que texto lindo, menina!
    Amei!

    Sei não...eu não sei como é que os cientistas sabem TANTO dos bichos!...
    Às vezes eles nos surpreendem, não é mesmo?
    Você assistiu "Marley e Eu"?
    Pois é, é baseado no livro (verídico), e portanto, uma história que realmente aconteceu.
    Quando a moça perde o primeiro filho, em um aborto expontâneo, e se entrega a uma tristeza sem fim, o cachorrinho fica o tempo todo ao seu lado, como que se entendesse a sua dor...
    Será que isso é SÓ instinto???

    Quando eu era criança, fui viajar de férias, e a minha coelhinha se negou a alimentar-se na minha ausência, foi definhando até morrer. O que é que os cientistas dizem disso? O instinto do animal, não lhes diz que está na hora do alimento, e ponto final? Onde está a explicação para a tristeza, para a saudade?...Aquele "olhar" que o animal tem quando está sofrendo?...

    Acho que o homem ainda tem muito o que aprender!

    Beijão pra você, garota.
    Tenha um lindo e feliz final de semana.

    PAZ & LUZ!

    Cid@

    ResponderExcluir
  3. "FILHICHINHOS"... GOSTEI E VOU USAR;-)
    BEIJÃO DAIANA E OBRIGADA PELA VISITA.

    CIDA, TALVEZ A MÃE DA GIRAFA NÃO FIZESSE AQUELE PÃO;-)
    E QUANTO AOS CIENTISTAS: ELES NÃO CONHECEM O LEO, NEM O BIDU, NEM O DOG, NEM A LUNA...
    BJÃO.
    JANICE

    ResponderExcluir

QUE BOM QUE VOCÊ VEIO!
PRETENDO RESPONDER AO SEU COMENTÁRIO...
SENTE-SE, TOME UM CAFEZINHO E CONVERSE COMIGO.

VOLTE SEMPRE