PÁGINAS INDEPENDENTES

3 de set de 2013

OS PETS - theo (um gato)


Minha separação tornara-se oficial. Decidimos vender aquele apartamento no qual morávamos, e comprei outro.

O sentimento de abandono se apoderou de mim e quase entrei em pânico...
Ao entardecer, eu costumava me debruçar na janela da pequena sala e chorar a falta daquele que não chegaria mais do trabalho...
O Theo sempre se punha ao meu lado naqueles momentos e olhava insistentemente para o grande jardim da pequena casa vizinha.
Certo dia, resolvi tirar os olhos do horizonte. Olhei para baixo e vi o que tanto atraia o gato: ali vivia uma galinha.
Por certo, foi inconscientemente que o Theo fez com que eu “caísse na real”. O fato é que o hábito de desesperar na janela desapareceu como que por milagre...

Já na maturidade, lembrei-me daquela galinha, e escrevi um conto que já está aqui E-Library (COTINHA)
.........................................................
Theo viveu comigo até seus 20 anos e participou de muitos acontecimentos marcantes... sempre procurando demonstrar solidariedade e afeto.
A dor da saudade deu lugar a lembranças boas... muito boas mesmo!
Agora Theo é uma nuvem que às vezes passa por aqui e pisca pra mim ;-)

10 comentários:

  1. Te ler é muito legal! Adoro e nos prendes do início ao fim! Mais uma vez, adorei! beijos,chica e que nuvem linda!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gosto de me contar!;-)
      Talvez eu seja meio narcisista rsrsrsrs
      Gostei do seu comentário, Chica.

      OOOPS! O foco aqui seria o gato...;-)

      Abração
      Jan

      Excluir
  2. Ai, JAN, senti daqui, lendo seu texto, o quanto foram tristes suas perdas. Creio até que estes 20 anos com o Theo tenha sido mais sentido, devido a amizade dele para contigo.
    Ainda bem que na vida tudo passa, até a dor, então agora é só olhar pro céu e buscar a nuvem gato, o seu Theo querido.
    Lindo conto!
    um abraço grande carioca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Beth!
      Realmente, o Theo foi meu grande companheiro nos piores momentos...
      Acredito que, quando os bichos, sua energia continua vivendo na Natureza, mas não é qualquer pet que vira nuvem ;-)

      Abração
      Jan

      Excluir
  3. Jan querida,
    Esses anjos quando partem, deixam um enorme vazio em nossa casa e em nossa vida.
    As lembranças inevitavelmente, são para sempre...
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Magda!
      Boas lembranças nos confortam e ocupam os espaços vazios...

      Depois que o Theo morreu eu não quis mais gatos (os vizinhos reclamavam muito, pois havia gato parecido que entrava nas casas e culpavam o Theo...).
      Comprei um cachorrinho pequeno e pus nome de DOG (pra não ter dúvida...).

      Abração
      Jan








      Excluir
  4. Jan:
    Tive um gato bem parecido com o Theo, chamava-se Toulosse.
    Como a garagem fica embaixo dos apartamentos, apesar de morar no térreo, meu apê acaba se tornando como se fosse 1º andar.
    E o Toulosse tinha o péssimo hábito de caminhar pelo parapeito da sacada, até o dia em que caiu.
    Por sorte, e talvez por ter 7 vidas, rsrsrsrs, nada aconteceu.
    Mas para evitar um desastre, acabei dando ele para o tio do meu marido, que mora em casa.
    Bjs.:
    Sil

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sil!
      Um gato chamado "Toulosse" é chique... mas o meu também era chique, bem;-) e o nome era Theodoro de Flamonville Jr... rsrsrsrsrs

      Abração
      Jan

      Excluir
  5. Querida Jan,
    Me emocionei com o seu relato
    Eu também perdi o meu poodle, Pepi, e meu gatinho, Xixo, e até hoje,
    bate a saudade
    Estes "bichinhos" são super companheiros, não?
    Um beijinho carinhoso de
    Verena e Bichinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Pepi e o Xixo foram transformados em blogs... vc também é companheira, Verena!

      Abração
      Jan

      Excluir

QUE BOM QUE VOCÊ VEIO!
PRETENDO RESPONDER AO SEU COMENTÁRIO...
SENTE-SE, TOME UM CAFEZINHO E CONVERSE COMIGO.

VOLTE SEMPRE