PÁGINAS INDEPENDENTES

2 de dez de 2013

OPORTUNIDADE PERDIDA

Depois de casada, vim morar em Curitiba e passei algum tempo sem interagir com nenhum bicho, até quando nos mudamos para uma casa com quintal.
O morador anterior era um amigo da família e nos deixou uma cachorra SRD que atendia pelo nome de Crioula. Era de porte grande e tinha a pelagem preta e brilhante.

Nessa fase da vida, eu já era mãe: tinha um filho de pouco mais de um ano de idade e, estava grávida. Apesar de a cadela ser bem bonita e simpática, eu temia a aproximação física, por não tê-la criado desde filhote e, principalmente, por cuidados com meus dois meninos (o “de fora” e o “de dentro”...).
Quando um vizinho saiu levando a Crioula, eu fiquei olhando e vários questionamentos passaram por mim...

Hoje, quando me lembro daquela cadela, penso que o medo me fez perder bons momentos e sei que o medo de uma mãe pode privar seu s filhos de experiências valiosas. 

PS: o próximo texto , de minha autoria, a ser postado no E-Library foi "escrito" pela Crioula.

20 comentários:

  1. Oi Jan :)
    Adorei seu relato.
    Mesmo sendo uma sensação natural,
    o medo nos faz perder bons e preciosos momentos...
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Clau!
      Minha maior culpa foi não ter tido a firmeza necessária naquela ocasião...

      Abração
      Jan

      Excluir
  2. Dá mesmo um arrependimento ao pensares,né? Pena! Mas aconteceu e passou! Fica a lembrança! beijos,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembro-me da Crioula com tristeza sim, Chica.
      Mas aconteceu e passou!

      Abração
      Jan

      Excluir
  3. Ai, que dó Jan:
    De você, por ter pedido a companhia da Crioula e dela por ter ido embora.
    Pra compensar, hoje em dia você tem outros "filhotes" aí bem juntinho.
    E são todos uns fofuxos.
    Bjs.:
    Sil

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Dó" sim, Sil!
      Principalmente dó dos meus meninos terem perdido a grande oportunidade de terem usufruído da companhia da Crioula.

      Abração
      Jan

      Excluir
  4. Pois é, JAN, às vezes a gente tem um medos bobos, ficamos reticentes e não fazemos alguma coisa que tempos depois nos lembraremos e achamos que deveríamos ter feito, isso acontece e foi também comigo em alguma outra situação parecida, faz parte da nossa humanidade.
    Um olhar doce dessa Crioula, adorei!
    beijinhos cariocas


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Beth!
      Eu estava empolgada com o meu casamento de cristal;-) e, inconscientemente, eu sabia que qualquer posição contrária iria trincá-lo...

      Abração
      Jan

      Excluir
  5. Lembrei de uma reportagem que vi ontem no Jornal da Record nela uma mulher que deixou uma cachorra no meio da rua em um dia chuvoso se desculpava com Deus e o mundo por ter deixado ela lá... Uma pessoa filmou, colocou na net e ela passou a ser vitima do julgamento dom undo e responde a processo jurídico... Ela disse que não ficou com a cachorra pelos mesmos motivos que você não ficou com a Crioula.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Pandora!
      Ainda bem que eu não abandonei a Crioula na rua ;-)
      De qquer maneira, não nos cabe julgar...
      Outrossim, acho que essas pessoas que se dão o trabalho de filmar e postar na net, deveriam pensar em adotar o animal.

      Abração
      Jan

      Excluir
  6. Querida Jan
    Com certeza Crioula não guarda mágoa de tí
    Ela compreendeu que você se desfez dela por uma boa causa
    "Bichinhos" sentem e sabem tudo o que se passa conosco
    Não se culpe, amiga
    Um beijinho carinhoso de
    Verena e Bichinhos

    ResponderExcluir
  7. Olá Verena!
    Seu comentário me deixou feliz!;-)
    A Crioula compreendeu, talvez melhor do que eu...

    Abração
    Jan

    ResponderExcluir
  8. OI JAN!
    COITADINHA, MAS, MUITAS VEZES QUANDO AINDA JOVENS E COM FILHOS PEQUENOS, NOSSO INSTINTO DE PROTEÇÃO PODE NOS LEVAR A FAZER ALGO ASSIM, MAS, NA CERTA ESCOLHESTE PESSOAS QUE GOSTAVAM DELA E LHE DERAM CARINHO E CUIDADOS.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. "COITADINHA" mesmo, Zilani!
    Acredito que ela tenha vivido bem.
    Quanto a mim, escrevi sobre isto e o fato não me machuca mais.

    Abração
    Jan

    ResponderExcluir
  10. Oi Jana
    eu acho que tudo tem sua época
    Naquela data você tinha outra idade, outros cuidados , outra inspiração.
    Seu coração internamente fez essa escolha.
    E provavelmente foi a escolha adequada naquele momento de sua vida.
    Hoje, é outro tempo. Ficou a saudade da crioula
    beijos Zizi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo,Zizi... "tudo tem sua época"!
      E, naquela época, eu sequer tive dúvida.
      Mas hoje (acho que ontem...) relembrei o caso e teria feito diferente... mas, eu já estou outra pessoa.
      ;-)

      Abração
      Jan

      Excluir
  11. Sei que to um tanto ausente do meu blog e de visitar meus blogs queridos, mas eu estava no fim de minha gravidez, e agora que minha bebe nasceu, fiquei com menos tempo ainda, mas sempre que eu puder, estarei atualizando meu blog e retribuindo as visitas como a sua que levam carinho!! Beijinhos!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sua bebê nasceu... PARABÉNS!
      Qual o nome da "princesinha"?
      Ih, Luciana, agora seu tempo vai 'encolher'!!!! :-)))))))

      Abração
      Jan

      Excluir
  12. Oi, Jan!
    Realmente, muitas crioulas cruzam nosso caminho, não apenas da espécie canina. Algumas notamos, todavia fica impossível contemplarmos todas...

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "impossível"
      Obrigada Cristina! Vou tentat ser mais condescendente comigo mesma...
      ;-)

      Abração
      Jan

      Excluir

QUE BOM QUE VOCÊ VEIO!
PRETENDO RESPONDER AO SEU COMENTÁRIO...
SENTE-SE, TOME UM CAFEZINHO E CONVERSE COMIGO.

VOLTE SEMPRE