PÁGINAS INDEPENDENTES

29 de nov de 2011

24 de nov de 2011

A VIDA

Ao mesmo tempo em que organizo minha casa preparando o 'meu' Natal, organizo minha alma fazendo um balanço da minha vida, que tem sido rica e intensa, pois que cheia de altos e baixos... de grandes quedas e grandes voos.
Houve um tempo em que
"aprendi a dizer não e ver a morte sem chorar"
mas hoje "borboleteando" entre brilhos e luzes, festão e festa, guirlandas e presépio, espero mais um recomeço e
"fico com a pureza da resposta das crianças: é bonita, é bonita, é bonita!".

23 de nov de 2011

CÉU
Existe!
É lá em cima.
Basta olhar pra cima.
Mas é preciso olhar pra cima!
(Janice  2000)
Podemos ter certeza de que o SOL brilha acima das nuvens, por mais densas que pareçam ser.

20 de nov de 2011

MORAL DAS HISTÓRIAS

Falo de filmes... filmes que usam tecnologias modernas, como os desenhos animados.

          HAPPY FEET - O PINGUIN

Um pinguim ainda jovem, que nascera sem nenhum talento para cantar, uma tragédia numa colônia de pinguins imperiais, onde o som determina o chamamento para a perpetuação da espécie o que, nessa produção cinematográfica, é romanticamente referido como "canção do coração"... mas ele sabia dançar...
Paralelamente, o jovem pinguin demonstra coragem defendendo o estoque de comida do grupo, quando seu alimento (os peixes) é ameaçado por um tubarão intruso.
Tendo salvo a colônia da fome e espalhado alegria com os pés, aquele jovem "diferente" foi aceito pela colônia...
Por detrás da bela produção cinematográfica, vê-se a necessidade de cada pessoa "diferente" encontrar, em si mesma, formas criativas de compensar seus limites e respeitar a cadeia alimentar para ser aceito.

   PROCURANDO NEMO

O peixe palhaço criança foi sequestrado e feito prisioneiro num aquário. O pai dele procura desesperadamente até encontrá-lo e, como num conto de fadas no qual a Fada é a Natureza "foram felizes para sempre".
Entre fantásticas paisagens submarinas e personagens muito bem desenhados, o filme nos revela que peixes ornamentais são "sequestrados" por seres humanos e aquários ornamentais domésticos são verdadeiras prisões nas quais eles são confinados sem nenhum motivo relevante...

16 de nov de 2011

ACREDITAR

“Um filme que nos passa lições valiosas de amizade e amor, de acreditar nos seus sonhos por mais impossíveis que possam parecer, que até os mais humildes podem chegar a grandes posições se há força de vontade, persistência e acima de tudo talento para o que se propõe realizar...”


Li o comentário acima, no link abaixo:
Meu foco foi “acreditar nos seus sonhos por mais impossíveis que possam parecer” desde que vi esse filme pela primeira vez. Sempre fiz coisas que não posso mais fazer, usando minhas próprias mãos... descobri que posso fazer algumas dessas coisas usando mãos alheias.
Mas, devo confessar: sou maior do que um rato!

13 de nov de 2011

PREPARATIVOS


Ontem 'rabisquei' o convite que será entregue à CRIANÇA (s) da casa e seus pais


Ele tem a idade que seu coração quiser.
Venha comemorar o aniversário dEle.
É NATAL!
VAMOS FESTEJAR!
No dia 17/12 - na casa 9 

10 de nov de 2011


Meu "leão" interior se acalma bastante com a perspectiva do Natal.




 
Ele fica bem quietinho, observando os pré-preparativos...

5 de nov de 2011

TUDO DE BOM!

Podem dizer que a festa máxima da cristandade perdeu seu verdadeiro sentido e transformou-se num grande, brilhante e colorido apelo comercial.
Eu gosto...







Gosto de ver belas vitrines decoradas.
Gosto de ver a movimentação comercial de compras e vendas.
Gosto de ver a alegria no rosto das crianças... e são elas o foco do meu Natal.
Sim meu, pois o Aniversariante é tão DO BEM, que me permite festejar o nascimento DELE à minha maneira.
Sou divorciada e tenho filhos que já são pais. No dia 25 eles corriam entre a casa do pai deles, dos sogros e minha.
Eu ficava ansiosa e amargurada... Então resolvi “aliviar” pra todos nós e organizo uma comemoração aqui em casa, pra filhos, netos, alguns parentes e amigos mais chegados.
Há uns 4 anos, alterei  o evento e fiz dele o que chamo de Natal da Vovó, para o qual são convidadas todas as crianças do condomínio, em nome da “Vó Janice e netos”... e assim, tenho uma comemoração natalina plena de amor.
Sei que muitos vão dizer que as crianças deste condomínio não precisam disto... e não mesmo!
EU PRECISO! E não tenho preconceito;-)))))
Eu vivo aqui e estes "próximos" estão bem próximos...

3 de nov de 2011

O PREFÁCIO

Há 10 anos, escrevi um livro de poesia, que foi o único.
Guardei um exemplar do livro que entitulei EM VERSOS, o qual publiquei sob orientação da minha então consultora literária Teresina de Costa, hoje minha amiga Tere. 
Ontem, reli o prefácio que é uma análise do livro... e de mim, já que descobri que meu foco sempre foi a Vida.
Transcrevo aqui aquele prefácio:

Partindo de um tema existencial onde faz um balanço do que vale, do que mais conta, do que faz sentido, Janice chega à conclusão de que, na vida humana, qualidade e dignidade são essenciais. No poema que abre o livro, ela diz textualmente:
“Não importa
vida longa.
Importa qualidade
e dignidade
no final.”
Encara a morte como consequência natural da vida.

“ Tive filhos,
plantei uma árvore,
escrevi um livro.
Morrer agora?
Não faz mal.”
A seriedade dos temas abordados não dá à obra um toque de melancolia. Pelo contrário, os versos são leves, sem preocupação com ritmo e rima. Versos que têm o tom casual e familiar de um bate-papo informal.

Levam a fina ironia e a inteligente conclusão de  uma escritora e poeta que nos faz pensar. Como Com a motricidade corporal restringida, faz do computador um meio eficiente de comunicação com o mundo, Janice surpreende pela força de vontade e pela sabedoria com que enfrenta a vida.

Comparando-a a um animal feroz, diz que a vida só pode ser enfrentada com coragem:
“O bicho é bravo
quem o enfrentar
tem que lutar.”
Os poemas são curtos, concisos, sem colocações desnecessárias ou meramente ornamentais. Vai ao cerne da questão de forma direta e despojada. Diz o que pensa e a que veio, como em O PREÇO, quando fala em investir em conforto, em remédios e na vida:

"Investir na Vida,
a Vida não tem preço.”
Em COLORIDO, Janice é didática. Antes pergunta, define, esclarece. Depois surpreende o leitor dizendo-lhe que o ouro buscado na faixa de luz colorida está nele mesmo... basta que saiba procurá-lo e acreditar no que faz.

Tão poético e ao mesmo tempo tão real!
Quando fala nas crianças, não o faz como mãe ou como avó que é. Toma uma postura filosófica. Vê e analisa de cima e de fora.
“Só criança é inocente.
É gente superior à gente.”
Faz uma incursão por assuntos místicos, e neles, mais pergunta que responde. Coloca a Igreja sob o ponto de vista histórico e a fé como postura pessoal.

“ A fé?
Está viva, como eu.
Intermediários?
São humanos, como eu.” 

2 de nov de 2011

"FINADOS"

Minhas homenagens aos que tiveram participação ativa na minha vida:


mãe; pai;
vó nê;
tios;
amigos;
...

Tudo que está vivo tem um fim... e hoje é feriado, dedicado às pessoas que chegaram ao fim.
Mas a vida humana tem fim??? Creio que não... só o corpo tem fim. Nosso corpo abriga nossa essência e é uma parte importante do nosso SER. Só que não é a essência... essa se vai... pra onde ????????
Mas, o corpo é o que 'espressão' da pessoa e, porque ainda não partimos, temos saudades.
Assim, acredito que aqueles a quem amamos, apenas partem antes de nós. O momento da despedida e doloroso... desesperador mesmo, para alguns.
Algum dia esqueceremos?????? Não! Temos até um dia do nosso calendário para homenageá-los.