PÁGINAS INDEPENDENTES

12 de jun de 2013

CARTAS PARA JULIETA - BC DO DIA DOS NAMORADOS

Proposta pelo parceiro Christian V. Louis
Cara Julieta,

Não tenho muita intimidade com sua história de vida (digamos ‘de morte’...) ;-)
Confesso que pesquisei para escrever esta carta e li por aí que sua história é o arquétipo do amor adolescente (uma tragédia????).
Eu digo que amor adolescente é intenso (talvez tenso...), impulsivo e até mesmo destemperado... ocorre que, na época da sua criação, a mulher  adolescente seguia um rígido padrão de obediência e docilidade, a ponto de não conseguir desenvolver a própria autoestima. Ao homem adolescente cabia o machismo imposto, o que também impediu o seu Romeu de desenvolver a própria autoestima.
Assim, seu criador, encontrou elementos para plantar num terreno fértil e nos presenteou com uma bem sucedida tragédia, que termina na antítese de “felizes para sempre”.
Ou talvez Shakespeare estivesse alguns passos à frente do seu tempo e quisesse alertar a nós, sua plateia do “futuro”... ou talvez você e Romeu tenham sido “sacrificados” pelo final feliz das famílias Capuleto e Montequio...
Ah, não sei.

Apenas sei, cara Julieta, que agora só me resta louvar a ingênua pureza do seu amor juvenil, ao mesmo tempo em que lamento seu triste fim.

44 comentários:

  1. Linda tua participação e ela nem chegou a realmente VIVER o amor que pensava...Pena, morreu! beijos,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pena mesmo!
      O escritor escreveu conforme a cultura da época... mas já faz 500 anos...
      Shakespeare que me desculpe... mas ele foi cruel com a Julieta;-)

      Abç
      Jan

      Excluir
  2. A-DO-REI!!!
    E a foto da cena do filme, bem legal!

    Abração e um dia cheinho de amor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga Bruxa (é esquisito escrever isto);-)

      Eu adorei seu comentário... mas o crédito da imagem vai para o Christian V. Louis (mentor da BC)

      Abração
      Jan

      Excluir
  3. Jan adorei a sua perspectiva é vdd talvez o autor tivesse a visão futurista desses amores adolescentes, eta que eu já fiz uma carta trácia mesmo kk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Patricia... "há mais coisas entre o céu e a terra do que sonha nossa vã Filosofia" ;-)

      Abração
      Jan

      Excluir
  4. Olá, querida Jan
    Bem lúcida a sua carta e de muito bom senso... ainda mais que traçou definições de amor com sutileza...
    Bom alerta!!!
    Seja muito feliz e abençoada!!!
    Bjm de paz e bem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rosélia!
      Talvez bom senso demais para a ocasião ;-)

      Abração
      Jan

      Excluir
  5. Olá Jan,
    Realmente, uma visão futurista... O amor de adolescente é efervescente e intenso demais.
    Coitada da Julieta. Um final triste demais.
    Adorei a sua participação nesta blogagem emocionante.
    Beijos mil

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Terezinha!
      Julieta foi personagem de um tragédia excessivamente trágica... e que Shakespeare não venha "puxar meu pé!";-)

      Abç
      Jan

      Excluir
  6. Jan,
    tô na mesma trilha que vc. Me questiono sobre as intenções do autor em esboçar a personalidade de Julieta frente à sociedade da época.Um olhar masculino temperado nesta visão de mundo...hum!!!Dá o que pensar, né?
    Tomara que Julieta tenha "lido" tuas considerações e repense seu final trágico.
    Bjos,
    Calu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Calu... "te be or not to be"?????

      Abração
      Jan

      Excluir
  7. Adorei, Jan!Gostei do modo como você escreveu a carta, de forma lúcida. A "Julieta", se recebesse essa correspondência, ficaria assombrada com os pontos de vista que estamos expressando nessa blogagem. (Também estou participando). Bom finzinho de quarta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez lúcida demais... meio crítica... mas eu preciso de elemento concreto para escrever, mesmo que esse 'elemento' seja uma ficção já concretizada;-)

      Abração
      Jan

      Excluir
  8. Oi Jan
    Parabéns sua carta é uma boa reflexão para as Julietas e Romeus da vida, que fazem loucuras por amor. Um ato impensado dos dois na verdade. Acho que tens razão alguma mensagem dá para tirar desta tragedia para os dias de hoje.
    Valeu.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Verinha, eu já fiz muita "loucura"... mas nunca cheguei a tanto.
      Meu Criador foi bem mais sensato ao me dar uma história de Vida;-)

      Abração
      Jan

      Excluir
  9. Oi, Jan!
    Também acho que a tragédia do casal de Verona não é mais exemplo para uma forma de amor intenso, pois o bom da vida é encontrar e viver um amor e não morrer por ele.
    um grande abraço carioca


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É né Beth, tragédias estão fora de moda.
      Graças a Deus!

      Abração
      Jan

      Excluir
  10. Jan,
    no meu delírio criativo(rs)imaginei quem teria sido a primeira enamorada a se "corresponder" com Julieta, daí nasceu a Maria Cecília, jovem romântica e sonhadora que viveu numa época tão cheia de convenções patriarcais.
    Bjkas,
    Calu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Calu, seu "delírio criativo" resultou num belo post.

      Ah! É muito 'ver' vc aqui de volta... sinto uma integração real, embora virtual;-)

      Abração
      Jan

      Excluir
  11. Adorei a pesquisa que fez!
    vamos 'brindar' a pureza!
    tbm estou participando dessa BC
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. TIM, TIM à pureza dos sentimentos ((mas NÃO à ingenuidade)!

      Abração
      Jan

      Excluir
  12. JAN, que delícia essa BC e eu nem sabia??? Que penaaaaaaa!
    Mas sua cartinha pra JUJULIETA tá linda por demais.

    Ai miga como eu queria ter escrito uma carta a ela. Falei até com O Christian.... Quem sabe ainda escrevo algo. Se bem que escrevi uma histórinha sobre ela e seu Romeu que está em meu blog Escritos. Se quiser ler, clica na Fábrica de Histórinhas.

    beijo e eu amei esse parágrafo seu:

    Assim, seu criador, encontrou elementos para plantar num terreno fértil e nos presenteou com uma bem sucedida tragédia, que termina na antítese de “felizes para sempre”.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lu!
      Eu também já perdi boas blogagens coletivas...
      Preciso aprender a "correr atrás do prejuízo".

      Abração
      Jan

      Excluir
  13. Jan,

    Gostei de sua posição realista quanto à necessidade de contemporização dos amores adolescentes de hoje, de faro os tempos na peça eram outros e quando pensamos bem, assim como vc o fez, entendemos que os desfechos dos amores modernos podem ser bem mais harmoniosos. Gostei imenso de estar por aqui minha querida! Gr. Bj.!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cris!
      É... o tempo passa. E se estivermos atentos, ficamos pra trás ;-))))
      Gostei que vc tenha vindo!
      Vou retribuir a visita.

      Abração
      Jan

      Excluir
  14. Antes era tudo intenso mesmo... tudo dramático demais. Hoje ainda é, mas eles dão a volta por cima rapidinho.

    Beijos, Jan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Clara! Fui lá visitar seu blog e gostei: tudo muito simples e claro, né?
      Deixei um comentário por lá... hoje a "fila anda" bem depressa... pode até atropelar alguma "Julieta" ;-)

      Abração
      Jan

      Excluir
  15. Querida Jan, eu acabei escrevendo a carta para Julieta ontem a noite.
    Gostaria de sua apreciação, se possível.
    A BC está no Escritos na Memória

    http://escritosnamemoria.blogspot.com.br

    Obrigada cara mia
    bacios

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lu!
      Vou lá sim!
      Aprendi a buscar o que já parecia perdido... às vezes vale a pena.

      Abração
      Jan

      Excluir
  16. Jan, tanto eu quanto você fomos lúcidos demais, ainda bem!
    Houve uma participante que se indagou se hoje ainda há gente que morreria por amor.
    Eu respondi que espero que não, afinal, nada tem mais valor do que a nossa própria vida.
    Parabéns e obrigado pela participação.
    Abraço e boa quarta-feira.

    ResponderExcluir
  17. Oi Chris!
    Talvez sejamos lúcidos demais... eu também não acredito que alguém se mate por amor, mas infelizmente, ainda tem gente que se anula por amor.
    Aprendi muito com esta blogagem, por isso, sou eu quem agradece.

    Abração Jan

    ResponderExcluir
  18. Oi Jan
    Acho que sua participação ficou com a sua cara, bem real! Gostei muito!
    Bjos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luciana!
      Gostei do seu comentário. É bom quando alguém reconhece 'nossa cara' num texto virtual ;-)

      Abração
      Jan

      Excluir
  19. Olá!
    Boa noite
    Jan
    Parabéns pela participação na BC.
    ...eu comentei em Quase todas participações sobre...e como não poderia ser diferente, cada um com seu toque pessoal, e por isso um sucesso!Ainda penso que nessa "tragédia", não houve a morte do "amor",e sim dos "amantes",devido á tudo "já sabido", pois creio que o amor verdadeiro coexiste com a dor, é temperada com as lágrimas e mantém-se de pé até na morte.
    Obrigado pelo carinho de sempre
    Boa sexta feira
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Felis!
      Os amantes é que morreram... infelizmente, era moda, naqueles tempos.

      Abração
      Jan

      Excluir
  20. Olá JAN,

    Gostei muito de sua carta. Muito bem escrita e com muita originalidade.
    Parabéns pela linda participação.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  21. Jan:
    Gostei demais da sua descrição do amor adolescente.
    Você conseguiu captar a essência de Shakespeare.
    Pois ao contrário dos finais felizes, Shakespeare propôs uma reflexão inusitada sobre o amor.
    O que para a época, pode ser considerado normal (infelizmente).
    Bjs.:
    Sil

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Silvana, será que existe essa proposta?!?!!
      Se sim, vou mudar meu olhar sobre as tragédias de Shaakespeare;-)

      Abração
      Jan

      Excluir
  22. Olá!Boa noite
    Jan
    só consegui chegar até essa postagem, se estiver enganado... pode me "cobrar"...
    Agradeço pelo carinho da visita!Obrigado! De coração!
    Bom início de semana
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Felisberto!
      Já existe outra postagem... mas "tá valendo." ;-)

      Abração
      Jan

      Excluir
  23. A gente faz mil e uma especulações sobre essas histórias que até hoje são lidas, mas o fato é que não sabemos... e o melhor talvez fosse fazer como você: louvar o amor juvenil, ainda que trágico!!!

    ResponderExcluir

QUE BOM QUE VOCÊ VEIO!
PRETENDO RESPONDER AO SEU COMENTÁRIO...
SENTE-SE, TOME UM CAFEZINHO E CONVERSE COMIGO.

VOLTE SEMPRE